24 de abril de 2015

NEGOCIAÇÃO COM O GOVERNO MUNICIPAL NO DIA 23/04


Presentes: Fernando Máximo (Secr. Planejamento), Geraldo Guimarães (Secr. Adjunto de Administração), Dalmyr (Secr. da Fazenda), Ramon (Secr. Educação), Ademilson (Secr. Adjunto de Educação), Sueli Rocha (Sind-UTE), Gustavo Olímpo (Sind-UTE), André Marques (Base) Jaqueline Assis (Base), Sandro Santiago (Base).
A reunião estava marcada para o dia de 17 de abril, mas devido a agenda do governo foi remarcada para esta quinta feira. 
Foi a primeira reunião de negociação após o protocolo da pauta de reivindicações. O governo fez uma apresentação do cenário econômico, da arrecadação e gastos. Novamente foi colocado que as contas com a folha de pagamento estão no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal e qualquer reajuste faria com que este valor superasse o limite de 54%. Dessa forma, falaram que “não irão colocar o mandato do prefeito em risco” e definiram a posição de não ter uma proposta de reajuste para esse ano, ou seja, 0%. Segundo Fernando Máximo o prefeito anunciará algumas medidas para conter a crise, dentre elas o corte de 50 cargos comissionados e de redução nas gratificações dos cargos comissionados, além de reajuste 0 para os servidores.

Nenhum retorno foi dado sobre as questões com as quais o governo havia se comprometido, como o transporte de Nova Contagem. Reafirmamos as propostas levantadas pela categoria como uma linha direta onde os trabalhadores possam utilizar o cartão ótimo, e o governo colocou que está em estudo a utilização de frota própria.
Sobre as titulações o governo informou que fará a publicação e o pagamento de 2% em junho. O valor do retroativo está sob a análise do impacto financeiro e será dado retorno até terça-feira. Lembramos que em reuniões anteriores já havia sido garantido o pagamento retroativo a janeiro deste ano.
Haverá uma reunião na SEDUC nesta sexta-feira (24/04) para avaliar outros pontos da pauta.
Essa proposta é uma afronta à categoria. Precisamos nos mobilizar! Todos/as à Assembleia do dia 28/04 às 14 horas no Espaço Popular.
NÃO VAMOS PAGAR ESSA CONTA!

7 de abril de 2015

FORMAÇÃO POLÍTICA PEDAGÓGICA


"Ser professor e não lutar é uma contradição pedagógica."
Paulo Freire


        Garantir a manutenção dos tempos e espaços de REFLEXÃO sobre nosso cotidiano e os aspectos políticos pedagógicos e sociais que o afetam é uma tarefa hoje, mais que nunca, é a principal FERRAMENTA de nossa ORGANIZAÇÃO.
        Nossas condições de trabalho, a valorização dos trabalhadores da escola pública, a exigência da GESTÃO DEMOCRÁTICA no espaço público, são bandeiras que precisamos levantar sem ter que PEDIR PERMISSÃO ou desistir de nossa LUTA, por MEDO ou DESÂNIMO.
        Participar da luta pela qualidade da Educação Pública é um DEVER de todos nós!

Amanhã é dia de debatermos a Educação Infantil. Participe!

FÓRUM DA EJA